Compartilhe!
Quando termina a Lua de Mel

Quando termina a Lua de Mel

 “Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança.”
(Romanos 5:3-4)

 Quando termina a Lua de Mel

Quando Termina a Lua de Mel

Tempo de construção de caráter! À medida que vai desenrolando a história em nossa vida de liderança, podemos ver claramente os desafios do estágio da realidade em nossa caminhada. Talvez este seja o estágio mais complexo de nossa vida. É raro o líder apreciar este tema e isto não é nada surpreendente. Se for honesto consigo mesmo, o estágio da realidade será um grande desafio.

No início da liderança podemos ver muitos líderes tendo grande sucesso: tudo parecia em plena lua de mel, um mar de rosas. De repente, as pessoas começam a desafiar sua liderança: “O que você está fazendo? Quem você pensa que é? Podemos enfrentar tudo em nosso ministério, igreja e em nossa vida, pessoas questionando suas ações, forma de pensar e até mesmo sua fé. Então acabou a sua lua de mel e vieram os desafios da realidade. Mas com certeza você não será o único a passar por isso e sentir isso, todos passamos ou vamos passar, pelo fim da lua de mel, agora é o resto do casamento, desafios, decepções, abrir mão, suportar por amor, sujeitar por causa da aliança de Cristo.

Vamos analisar o exemplo de Moisés. Ele conseguiu realizar milagres no Egito. Mais de uma vez, Deus provou que estava com Moisés durante sua liderança. Quando Israel se deparou com o Mar Vermelho, Deus disse a Moisés para usar a autoridade que ele tinha recebido. Como líder, Moisés usou a vara que tinha em sua mão, dividiu o Mar Vermelho e Israel pode atravessar o rio a fim de fugir do exército Egípcio. Este foi o seu sucesso inicial. Ainda havia quarenta anos pela frente, mas Moisés ficou muito contente com o sucesso que teve no início. Não apenas Moisés, mas também sua irmã Miriã e o resto dos israelitas, que pegaram seus instrumentos para cantar e louvar ao Senhor. Houve uma grande festa para celebrar aquela vitória e o sucesso da experiência do Mar Vermelho.

Como sempre acontece quando se tem sucesso no início da liderança, Moisés passou por um período em que ele não buscou o Senhor. Em sua jornada, o povo começou a pedir água – e muito mais. Agora eles estavam no deserto. Onde é que haveria água? Como seria a vida deles naquele deserto? O que comeriam? O que beberiam? O estágio da realidade se instaurou, trazendo para nossa realidade o que fazer agora, com o desânimo das pessoas, a falta de fé, um povo sem compromisso, sem caráter, só cobrança, desapontamentos, críticas e muitas outras coisas que podem ocorrer em sua liderança.

Inicia a prova de seu caráter diante desses quadros, o Senhor que saber: Que tipo de homem ou mulher você será mediante esses desafios? Isso vai servir para aperfeiçoar o seu caráter Cristão.

Auto descoberta – Uma olhada profunda para dentro de si mesmo

1º Somos limitados:
É fácil para os líderes observar seu sucesso e começar a pensar: “Eu cheguei lá. Sou um líder plenamente desenvolvido!”. Isto é fácil, mas também é uma decepção. Os líderes sempre acreditam que seus sucessos inicias são provas de maturidade e de controle. A tentação é esquecer a mão de Deus em seu papel de líder. Em vez disso, você confia em seu próprio entendimento. Você pode até acreditar que já programou tudo. Esse é o momento quando o líder confronta a realidade de suas próprias limitações.

2º Tomar decisões em conjunto:
 No início de nossa caminha da vida, estudamos, fazemos faculdade e nos formamos, logo entramos no mercado de trabalho em busca da realização pessoal e profissional, e não damos conta o quanto estamos sendo treinados para assumir uma liderança. O fato de trabalhar em lugares diferentes e com pessoas diferentes é o treinamento inicial para formação de um líder. No mercado, líder é cargo, na vida Cristã liderar é parte do processo. O processo de obter conhecimento através da experiência, o processo perpétuo de aprendizado, o processo de seguir nossos chamados numa tentativa de seguir ao Senhor. Deixar de lado a ideia de que liderança é tomar decisões por você. Liderança na vida Cristã é aprender como depender do auxílio de Deus, bem como de outras pessoas na tomada de decisões.

3º Buscar investimento:
Na caminhada de liderança temos que nos cercar de investidores que acreditam em nós, para isso temos que mostrar o quanto somos ensináveis e dispostos a aprender. Sempre pense; existem pessoas que estão lhe observando a todo o tempo, suas atitudes, comportamentos e motivações. Eu em particular sou assim, quando encontro um coração humilde e ensinável sinto disposto a investir o meu tempo, ensino como fazer as coisas, pratico junto, disponibilizo recursos e abençoo até financeiramente. Acredito nesse processo, pois assim fizeram e fazem comigo a mesma coisa, não tenho grandes qualidades, porém tenho reconhecimento suficiente que não sei tudo e necessito aprender com homens mais maduros em sua fé do que eu.

4º Transparência mútua:
Depois de uma caminhada com uma equipe a coisa mais difícil é esconder quem é você. Ser transparente lhe torna vulnerável, deixar que os outros vejam suas fraquezas não te faz pior e sim igual, isso para mim é um estilo de liderança. O processo de transparência começa com as atitudes e não com a fala, mostrar transparência e não falar de transparência, as pessoas carecem saber a quem estão seguindo. Prefiro mil vezes mais andar debaixo de uma autoridade transparente do que me submeter a alguém que nem sei as coisas mais íntimas de seu coração, ou seja, as dificuldades familiares, seus medos, seus pecados confessados e sua relação matrimonial e muitas outras coisas.

É nesse ponto que gera a confiança de alguém lhe disciplinar, escolha alguém para chamar a sua atenção. Primeiro mostre à pessoa quem você é; suas motivações, falhas e pecados, pois as qualidades e qualificações aparecerão sem necessitar mostrar. Temos a indisponibilidade de nos abrir, assim nos fechamos em nosso mundo interior não sendo nem transparentes com o próprio Deus.

Um bom teste para você é iniciar em sua casa, com sua esposa, seus filhos seus parentes e até com seus animais. Assim ficará mais fácil com outras pessoas. Quando criamos o hábito ele mesmo cria em nós a disciplina. Podemos passar a nossa vida ministerial escondendo coisas, mas de Deus é impossível. A sobrevivência de sua vida ministerial está diretamente ligada com o quanto você é transparente.

Perguntas pra Reflexão

  • Você se sente limitado? Em qual área? Procure ajuda em pessoas que não tem as mesmas limitações e aprenda com elas, peça para que as ensine e isso lhe fará mais humilde.
  • Você toma a maioria das decisões sozinhas ou pede conselho e ajuda de alguém ou de Deus? De forma prática quais as pessoas que você quer incluir nesse processo de tomada de decisões? Isso lhe fará mais próximo delas e possivelmente cometerá menos erros.
  • Queremos reconhecimento das pessoas, mas você as tem reconhecido? O quanto você está disponível a ser investido por alguém, ser ensinável a ponto de se deixar aprender? Você tem investido em alguém? Levante agora um ou dois nomes de pessoas que investem em você, o mesmo, quais você tem investido?
  • Esse é o grande desafio para o líder – ser transparente – Você é transparente? As pessoas realmente te conhecem? Você tem um disciplinador, alguém com quem pode abrir o coração? Correr com esse processo é um sinal de sobrevivência, por isso corra atrás de uma ou duas pessoas que você possa abrir seu coração verdadeiramente.

“Já vivi o suficiente para ser surrado pelas realidades da vida, mas não o bastante para ser derrotado por elas”. John Mason Brown

  

Deus os abençoe,
Marcelo Staut.

 

CONHEÇA NOSSOS CURSOS