Compartilhe!

Relacionamento Duradouro

Imagem ilustrativa.

Relacionamento Duradouro
Por Itiro Nabeya*

Estamos completando dois meses morando aqui em Malta (um arquipélago no Mediterrâneo constituído por sete ilhas). Temos caminhado todas as tardes, inclusive agora com a chegada do verão. As caminhadas também tem sido uma forma de despedirmos desse lugar tão lindo. Temos observado um grande numero de casais de idade avançada, caminhando pelos calçadões, aproveitando, quem sabe, talvez o último verão de suas vidas.

Outro dia, quando íamos para a escola (estamos estudando inglês), como dois jovenzinhos, passamos por um casal e vimos seus corpos pouco encurvados e enrrugados pela idade. Apesar de seus passos lentos, ambos estavam felizes. O que fortalecia mais a nossa convicção é o fato de estarem de mãos dadas.

Não me contive e ao ultrapassar o casal, fiz um sinal de positivo e nos cumprimentamos com um largo sorriso. Tenho certeza que ele entendeu o que aquela linguagem do silencio dizia: “Admiro a consistência, a dedicação e a beleza da forma que voces estão demonstrando em seu casamento.” Eu e minha esposa Ni temos conversado muito a respeito de casamentos duradouros. Tem sido comum neste país ver casamentos duradouros, diferente do nosso Brasil. Aqui em Malta, somente agora estão levando em plebiscito a aprovação e a legalidade da separação, ou seja, do maldito divórcio. 

As pessoas que estão próximas e que já ultrapassaram a faixa dos 50 anos irão entender um pouco do que eu quero dizer. Lembro-me que um tempo atrás, encontrei uma furadeira de concreto com um preço de admirar, e acreditem, para aproveitar o preço comprei duas iguaizinhas. Com pouco tempo, uma delas se quebrou e foi substituída pela outra nos poucos trabalhos caseiros surgidos, e rapidamente também danificou-se.

Tentei fazer dos dois, pelo menos uma que pudesse funcionar, porém sem sucesso tive que recorrer a um mecânico. Para minha surpresa, havia sim, conserto. Mas apenas peças ficariam mais caras do que adquirir uma novinha em folha. Na realidade, ainda não acostumamos com a ação e palavra descartável. Ela é difícil de ser digerida pois nascemos numa época em que tudo tinha conserto. Uma panela de pressão, uma bicicleta, uma máquina fotográfica, enfim… tentar restaurar algo era como valorizar o autor do objeto criado. Tudo tinha conserto. Os relacionamentos danificados, os casamentos em ruína tinham consertos. Não havia outra saída a não ser reparar o estrago. Nada era jogado fora ao acaso.

Nascemos nessa época, vivemos toda a vida baseados nesse princípio e tem sido muito difícil nadar contra a correnteza e preservar esse conceito. Tivemos o nosso primeiro neto e algo que temos medidato é como ele vai encontrar esse mundo amanhã onde tudo é descartável,  inclusive os relacionametnos são descartáveis.

Temos um legado a deixar para a geração dos nossos filhos e dos nossos netos, o testemunho de nossa vida será esse legado. Um dia fizemos o compromisso perante uma autoridade que somente a morte poderia um dia me separar da minha amada. Naquele dia, o peso das palavras optava a união duradoura. Muitos conceitos descartáveis passaram-se nesses 30 anos de nossa relação de casamento, mas preferimos trocar peças defeituosas, passar por marteladas que causaram muitas dores e consertar em vez de trocar. Minha esposa (e seu cônjuge) custou muito caro. Trocar seria apenas uma forma de desvalorizar aquilo que temos e comprar outro, mais barato e sem conserto.

Fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Ele nunca nos trocaria se apresentássemos defeitos. Aliás devo salientar que o que mais temos são defeitos. Não somos descartáveis, assim também o nosso casamento não pode ir para o lixo quando tudo parece não funcionar. Aprendemos com um certo tempo a levar para o melhor reparador e especialista nesse assunto, JESUS, antes de tomar qualquer decisão errada. 

Quem sabe ainda viveremos muito. E quem se em determinado dia de nossa velhice estivermos passeando em uma linda calçada, com passos lentos e precisos, e alguém nos olhar e fizer um sinal positivo, entenderei rapidamente o seu significado: a nossa vida valeu a pena! O nosso relacionamento de aliança valeu. Preferimos sempre o conserto em vez do descartável! Minha esposa sempre vai ser a original. Na vitrine do meu coração é a única e a de mais valiosa de todas!

*O autor é membro da igreja Ibn Cristo Rei e faz parte da liderança do Ministério de Casais.
CONHEÇA NOSSOS CURSOS