Compartilhe!

Renunciar a Própria Vida?

Certo homem, perdido numa região desértica, prestes a morrer de sede, encontra uma cabana desabitada.

No quintal, uma bomba d’água, velha e enferrujada. Imediatamente ele começou a bombeá-la, mas a água não jorrou. Desapontado, sentou-se. Só então viu ao lado da bomba uma garrafa d’água, com um bilhete colado sobre rótulo: “Você precisa primeiro preparar a bomba com TODA a água desta garrafa, meu amigo. PS.: Faça o favor de encher a garrafa outra vez antes de partir.”

A garrafa estava quase cheia e ele, de repente, se viu num dilema: Se bebesse a água “velha” e quente da garrafa talvez sobrevivesse, mas se a colocasse naquela bomba enferrujada, talvez obtivesse água fresca. Mas, talvez não.

Com relutância, despejou a água na bomba. Em seguida, agarrou a manivela e começou a bombear. E a bomba começou a chiar. E nada aconteceu! E a bomba foi rangendo e chiando. Então surgiu um fiozinho de água; depois um pequeno fluxo, e finalmente a água jorrou com abundância!

Bebeu até se fartar.

A palavra RENÚNCIA tem sido destruída em todos os sentidos, principalmente pelo capitalismo. A mídia, com o enorme poder de formar opiniões está destruindo o sentido dessa palavra. Repare o que diz Daniel 4.27: “Portanto, ó rei, aceita o meu conselho: Renuncia a teus pecados e à tua maldade, pratique a justiça e tenha compaixão dos necessitados. Talvez, então, continues a viver em paz”.

Pensemos no que é mais difícil de renunciar: conforto familiar, bens materiais, saúde, reputação, estabilidade pessoal… Qual delas você estaria disposto a renunciar por amor a Deus?

É uma pergunta forte, mas mostra que poucos de nós estão dispostos a deixar àquilo que mais nos apegamos. Em Lucas 14.33 diz: “Da mesma forma, qualquer de vocês que não renunciar a tudo o que possui não pode ser meu discípulo”.

Veja que o possuir é tão abrangente quanto o renunciar, e um não combina com o outro. À medida que queremos mais (“ter”), menos renunciamos. Porém quanto mais renunciamos às coisas deste mundo, menos precisamos ter. Assim Deus pode nos usar da forma que ele quer.

Quantos de nós temos morrido para as coisas deste mundo? “Quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa e por causa do evangelho, a salvará”. Marcos 8.35

COMENTE o que tem sido mais difícil pra você renunciar.

Samuel e Débora Costa
Colaboradores, Palestrantes e Treinadores da UDF.
www.samueledebora.com

CONHEÇA NOSSOS CURSOS