Compartilhe!
popularidade-ou-cargo-organizacional-nao-e-lideranca-resultados-sim

Enfrentando os Desafios Iniciais da Liderança – Parte 01

popularidade-ou-cargo-organizacional-nao-e-lideranca-resultados-sim

Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? (Hebreus 12:7)

 

Enfrentando os Desafios Iniciais da Liderança – Parte 01

Logo após uma caminhada ministerial se não tirarmos proveito dos ensinos que Deus nos coloca, pode iniciar um sentimento de que estamos perdidos ou no lugar errado. Se não formos cuidadosos, algumas dessas situações podem nos desencorajar e levar a graves problemas, por isso é fundamental abraçarmos essas lições que Deus vai nos ensinar no inicio do nosso ministério de liderança.

No início, o maior desafio para o Líder é o desejo íntimo de ser bem sucedido. Cada líder que aceita um chamado de Deus tem esse desejo interior de ter sucesso. A tentação aqui é conduzir do nosso jeito, provar que podemos fazer e ignorar completamente a orientação de Deus. Isto é muito perigoso. Vemos isso na vida do Rei Saul. Ele queria ter vitória na guerra contra os Filisteus. Ele disse a Samuel, o sacerdote e profeta de Deus, para vir fazer o sacrifício para a batalha. Samuel não apareceu no momento que Saul desejava e então o próprio Saul fez o sacrifício – uma ação para qual ele não estava qualificado. Ele trouxe fracasso sobre a sua liderança. Sua queda começou naquele dia. Desejar sucesso é perigoso, se não for controlado e canalizado da forma correta.

 

Ação Prática para o Sucesso

Desafios de um Líder:

1º Chamar atenção – O início da liderança é uma tentação de impressionar os outros. Esta é uma tática comum para obter atenção e aprovação. Os jovens líderes tentam impressionar os outros pela maneira como falam, agem ou planejam . O desafio de obter aprovação impressionando as pessoas muitas vezes os leva a exageros. Quando tentamos impressionar, no mínimo ouvimos o que as pessoas dizem ou deixam de dizer, ou que elas gostam ou não gostam – e sempre deixamos de perceber aquilo que Deus quer que façamos.

2º Popularidade – Um líder pode ansiar por popularidade. Neste estágio, os jovens líderes são sempre tentados a comparar-se com outros líderes que são bem sucedidos, amados ou populares. Os jovens tentam copiar outros líderes que eles admiram e que tem sucesso. O problema é este: ter popularidade e cumprir a vontade de Deus geralmente são coisas que não combinam. É bom ter em mente que, à medida que Jesus foi fazendo a vontade de Deus, ele foi ficando cada vez menos – não mais – popular. O líder precisa orar pedindo a Deus misericórdia e não popularidade.

3º Falta de Equilíbrio – No início desejamos realizar tudo de uma hora para outra, devido à energia que têm. Essa energia precisa ser direcionada para o propósito de Deus e usada de forma como Ele deseja. Este tipo de energia mal direcionada pode levar os líderes, principalmente os jovens a “passar na frente” de seus ministérios. E os resultados? Normalmente eles acabam perdendo pessoas, já que nem todos possuem tanta energia. O costume de dar partida sempre por conta própria junto com falta de disposição de esperar pelos outros pode se tornar um grave problema. O líder pode acabar se convencendo de que ele (ou ela) está mesmo sozinho(a) no trabalho de Deus – resultando em desequilíbrio na vida e no ministério do líder.

4º Visão de expectativas – Quando iniciamos ou somos jovens estamos cheios de visões. Deus lhe dá visão para as suas tarefas. Eles podem enxergar as coisas e costumam dizer: “Se eu vi, eu desejo isto hoje”. Mas a visão tem como finalidade a direção. Visão não é dada para que a pessoa faça tudo em 24 horas. Visão é para sabermos para que estamos aqui, onde vamos, o que é possível e qual é o potencial. O líder precisa ter cuidado com a maneira como trata a visão recebida no ministério para não matá-la ou sufocá-la. Visão é habilidade de enxergar do fim para o começo, é de frente para trás. E a pergunta que temos que fazer é: “O que necessito hoje para cumprir essa visão que vai acontecer daqui tantos anos?”. Isso diminui as expectativas e por fim as frustações.

5º O orgulho – A pessoa que se orgulha de sua educação ou experiência pode acabar deixando de ouvir um conselho sábio. O orgulho é usado também para esconder a nossa falta de auto confiança. Embora a pessoa deseje ser aceita, deseje impressionar e ser popular, ainda pode existir falta de auto confiança. Isto conduz ao orgulho. Parece estranho, mas sempre criamos instrumentos de proteção para nos esconder nele, achar que já sabe de tudo e que não precisa de ninguém é nada mais nada menos do que Orgulho.

6º Indispensável – Com base nas bênçãos de Deus e nas atividades do estágio inicial de liderança, o líder pode começar a ver-se como indispensável. Esta atitude – que é simplesmente outra forma de orgulho – geralmente conduz à derrota. A não ser que a pessoa consiga controlar esta atitude ela vai se enxergar como essencial à visão, às atividades e ao sucesso da organização. Então pense! “Quem será seu substituto?”.

7º Independência – Devido ao sucesso no início do ministério, os líderes às vezes desejam tornar-se independentes, já tratamos um pouco isso em artigos anteriores, mas nunca é demais reforçar. Eles sentem que não precisam de ninguém e que podem fazer tudo sozinhos. Com esse sentimento de independência, juntamente com a popularidade, o líder é tentado a fazer tudo por conta própria. Ele se envolve em tudo e precisa controlar tudo. Ele precisa estar em todos os lugares para participar de todas as reuniões. É difícil para ele passar a responsabilidade aos outros. Delegar autoridade é especialmente difícil, já que o líder deseja independência e sente que precisa saber de tudo. Esta atitude é perigosa, porque pode conduzir ao esgotamento.

“Vencedores não são aqueles que nunca falham, mas aqueles que nunca desistem” – Edwin Cole.
Falhou? Essa é a oportunidade para mostrar que tipo de homem você será. Levante, ainda tem muita coisa a ser feito em você e através de você.

Não percam na próxima semana a segunda parte do texto.

 

Deus os abençoe!

Marcelo Staut
Diretor Nacional do Veredas Antigas

 

CONHEÇA NOSSOS CURSOS