Compartilhe!

A reação de uma filha com seu pai

1082137436

Era uma terça-feira aparentemente comum. O pai tinha tido um dia exaustivo de trabalho e após todos se acomodarem em casa, a esposa, seus filhos e ele, sentaram-se a mesa para jantar e compartilhar seus conteúdos vividos.

Após a janta, o cenário comum daquela família se repetia. A mulher se dirigia para lavar a louça da janta, os filhos recolhiam os pratos e o esposo inclinava-se para o sofá, para se distrair com alguns canais da televisão.

Ao terminar a organização da cozinha, a mãe vai para a sala e presencia uma cena digna de admiração, onde nada e ninguém deveria interromper aquele momento: A filha mais velha do casal (que no momento tinha apenas cinco anos), deita o rosto do pai em seu colo e ele com os olhos fechados, se entregava para aquela vivência.

Ela passava suas mãozinhas delicadas em sua bochecha, entrelaçava seus movimentos na testa e nos olhos fechados do pai e por algum instante mágico, ela olha para ele e se emociona. Talvez, sentiu o quanto aquele pai estava cansado naquele dia.

A mãe, que ainda segurava a toalha de secar louça na mão, se recolheu para dentro da cozinha, justamente para não atrapalhar aquele momento singelo e passado alguns momentos, a filha olha para ele e disse:

– Papai, vai tomar banho agora que eu vou lá no quarto separar o pijama para você dormir.  E ele assim o fez, com ela separando-lhe sua cueca, seu chinelo e uma camiseta.

O que me chamou atenção nessa história não foi o fato desses acontecimentos em si, aja vista que foi um dia atípico. O fato digno a ser considerado aqui, foi justamente a sensibilidade que esta filha teve com o sentimento de cansaço do pai.

Por alguns instantes, me propus a pensar que não foi somente a ação dela que ser observada, mas também, o que este pai fez para cativar o coração da filha. Na busca de respostas, uma palavra me ocorreu: DISPONIVEL… é isso mesmo… o que mais define a conduta deste pai é de ser um pai que é disponível para perceber as necessidades dela.

Ele dá ordens a sua esposa que ninguém pode usar celular, whatts app e computador durante o período que as crianças estão acordadas, ele se compenetra aos sábados para que sua tarde seja realmente dedicada a sua família, renuncia seus próprios desejos de tirar seus momentos de lazer, obviamente sem elimina-los porque entende que é importante este equilíbrio, sem contar outras reações naturais de uma pai que busca estar presente na educação dos filhos.

Esse pai não ganhou carinho de graça, só porque a filha é apenas uma criança. Todo relacionamento se constrói com a troca e muitas vezes, colhemos esses frutos, após anos de convívio. É por isso que para uma relação familiar sólida existir, é preciso haver tempo para ser disponível, sem desconsiderar o tempo de estar envolvido com seus próprios compromissos.

A recompensa de carinho, é o prêmio para aquele que a conquista.

Karine Rizzardi
A autora é psicóloga especialista de casais e família

CONHEÇA NOSSOS CURSOS